Welcome Sócrates!

[dropcap size=”500%”]E[/dropcap]

sta sim é a verdadeira paródia da rentrée política deste final de Verão. O PS foi a votos dizer que não está arrependido, que a vitória é quem mais ordena e que essa coisa do reconhecimento de culpa, do aprender com os erros e do restabelecer da credibilidade está completamente démodé – é piroso! “O que faz falta é animar a malta” e portanto o PS vai dar espectáculo e vai munido dos seus animadores residentes, o grupo dos grandes artistas: “A Tralha Socrática”.

À cabeça já se sabe, D. Sebastião Costa: o nº 2 de sua alteza que passa agora a número 1 e que já prometeu… não prometeu nada, aliás, ainda não disse nada. Rematou para a Agenda da década a sua linha política que, como se sabe, é tão conhecida como conhecida é a receita dos pastéis de Belém – o que revela a inteligência na escolha do PS, é que os pasteis são bons e ninguém sabe como nem porquê, logo, se o pastel de Costa é o crescimento e o investimento público é a pasta envolvente a receita é o menos importante… O que interessa é que ele quer crescimento, que convenhamos, é “muita” bom”!

Depois o quarteto solene dos emblemáticos. O grupo forte e pensante da construção da alternativa política protagonizada pelo PS: Lacão, Paulo Campos, Pedro Silva Pereira e Mário Lino. Eu sei que isto mais parece o PS de 2006, mas não é! Não é e não é! É óbvio que vai haver quem nos queira “impingir” essa leitura, mas é gente claramente mal-intencionada e que não sabe reconhecer a importância destes senhores no desenvolvimento deste país. Aliás e para atestar as suas qualidades de estabilidade, firmeza e clarividência na defesa das suas convicções (postura tão fundamental neste novo paradigma político que o PS quer liderar), são estes uns dos poucos ex-governantes do PS que ainda conseguem defender a Governação de Sócrates sem sequer se rirem por um instante! Sempre de cara séria, convictos e firmes do trabalho desenvolvido! É desta fibra que Portugal precisa… de novo.

E a rematar, como sempre, está a “cereja no topo do bolo”. Não podendo D. Sebastião Costa estar presente na AR, visto que não foi eleito deputado (na altura a CML não podia prescindir de ter o seu presidente a tempo inteiro – mas só os burros é que não mudam, por isso deixem-se de tricas) teria de escolher para seu representante e líder da bancada Socialista alguém que conseguisse afrontar, à sua imagem, o primeiro-ministro nos debates quinzenais. Alguém acima de qualquer suspeita, de valor reconhecido, com “sangue na guelra” e com uma vivacidade à altura no novo líder… quem mais… Eduardo Ferro Rodrigues!! A souplesse na oratória, a exuberância na postura e a vivacidade de um Coala são as característica ideais para protagonizar a mudança tão aclamada no PS – uma verdadeira “bufada” de ar fresco.

Prepara-te PSD! Esta malta não está para brincadeiras e vem pedir responsabilidades a quem afundou este país. É um novo PS, com novas caras e novas políticas, cheio de esperança e com a certeza de que quer fazer diferente do que até agora foi feito. Ah grande Costa!! Já meteste a malta toda a tremer!

Pedro Brilhante

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *