Pombal: Um espelho para o país!

Num país governado por uma geringonça fala-se e defende-se a descentralização, reduzir as assimetrias entre o Interior e Litoral, e quais foram as medidas tomadas pelo Poder Central? Transladar ministérios para grandes cidades, mas não nos podemos esquecer que não são as grandes cidades que sofrem com o êxodo e abandono da população, mas sim as cidades médias e cidades periféricas do Interior.

Pombal assumiu a categoria de cidade em 1991, um ponto estratégico quer geográfico, quer económico no nosso país e como ponto estratégico o que fez este nosso governo nestes últimos anos?

Destruir e abalar o nosso município deixando ser coberto pela sombra das grandes capitais de distrito. E não basta só este erro cometido pelo poder central, que demonstra uma clara rota de colisão com a sua política de descentralização, como mata esse plano completo com a decisão de encerramento de balcões de bancos como, por exemplo, a Caixa Geral de Depósitos do Louriçal, ou então a supressão de comboios na Linha do Oeste.


Pombal é apenas uma amostra no nosso país, pois como a nossa cidade existem muitas. 
Cortam e contradizem-se medidas e propostas pelo poder central e estas só têm influência num lugar no próprio país que sofre.
É caricato que o país auto-asfixia-se, os corredores multi modais que são as veias e artérias de um país são cortadas, os portos que são o ponto de entrada do mundo ao nosso país são mal geridos e o seu investimento mal feito, assim como a situação aeroportuária e claro não esquecendo a rede rodoviária que esta num estado de calamidade.

O esforço de alguns tem sido impressionante e devido a isso esta imagem pode melhorar, pois foi levada a Assembleia da República a recomendação da requalificação da IC2 e IC8.


Pombal infelizmente pode se tornar um espelho de um país, uma cidade sufocada pelo flagelo do êxodo rural , uma cidade que é um grande pólo económico , com uma excelente posição geográfica que pode ser uma veia do corredor multi modal que tanto pesam dão a nossa economia e a vida do nosso país.


Diferentes temas fraturantes que pesam na vida do nosso concelho e nas nossas vidas.

 

“Neste país de esquerdas é necessário voltá-lo a metê-lo às direitas!”

 

João Pedrosa – Vogal do Gabinete de Formação