Os velhos do Restelo…cheiram a mofo

[dropcap size=”500%”]S[/dropcap]

e há dois dias me desafiassem a apostar sobre a hipótese de Ferreira Leite ou Bagão Félix um dia virem a subscrever um documento com Francisco Louça e as suas opiniões vierem a ser aplaudidas pelo PCP e pelo Bloco, eu faria all-in em como isso não aconteceria nunca. A insensatez, a cegueira e o oportunismo encarregaram-se de me fazer perder a aposta.

Se ver personalidades de esquerda subscrever este manifesto é normal, vai ao encontro da sua linha ideológica – a de gastar e não pagar –, ver “notáveis” como Ferreira Leite ou Bagão Félix, que enquanto ministros foram do mais austero do que até aí se tinha experimentado, só se justifica por oportunismo político e uma total cegueira de retaliação e vingança. Admirei e admiro Ferreira Leite, mas penso que estes sentimentos negativos lhe estão a turvar a mente.

Há três anos assinámos o memorando de entendimento para, exactamente, não reestruturar a dívida e não dizer aos mercados “não pagamos”. Sabíamos que cair nesse extremo traria consequências nefastas para os portugueses – sim, mais, muito mais, do que as que já temos –, nas décadas futuras seríamos praticamente impedidos de recorrer ao crédito: o Estado, as pessoas e as empresas. Já aconteceu no passado, foi numa situação de incumprimento perante o exterior que Salazar apareceu e impôs uma ditadura, só tendo hipótese de recorrer ao crédito a partir dos anos 60 – até aí reinou a pobreza extrema.

Se há três anos tomámos essa opção de nos afastarmos do caminho suicida levado pela Grécia, parece que volvidos três anos há por aí uns “notáveis” birrentos, que não lidam bem com os resultados que alcançámos.

Saiu do corpo de muitos portugueses, do seu suor, das suas lágrimas, do seu esforço e do seu trabalho, dos que hoje vivem com muito menos do que viviam há 10 anos e dos que viram os seus sonhos diluir-se na amargura dos dias. Foi este povo heróico que se sacrificou durante três anos para que Portugal possa hoje dizer que está credibilizado internacionalmente, tem acesso a crédito com juros razoáveis e, tem ainda a economia a crescer mais do que o esperado.

Só alguém (70!!) que não tem respeito pelos portugueses, que não faz ideia do quanto deram de si nestes três anos e que, possivelmente, nunca fez sacrifícios, é que pode vir agora com todo o desplante viajar no tempo e exigir aquilo de que há três anos fugimos a 7 pés! Os mesmos que, durante 40 anos, estiveram nos cargos de poder e influência do país, foram governantes e praticaram ou toleraram a política esbanjadora e irresponsável que nos trouxe até aqui.Estes velhos do Restelo já cheiram a mofo… Não lhes chegou 40 anos a hipotecar o futuro das gerações futuras, para agora ainda se acharem com a autoridade moral para darem a machada final.

*Publicado também no blog dextram.blogs.sapo.pt

João Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *