Natalidade

[dropcap size=”500%”]H[/dropcap]

á algum tempo que se esperava por uma notícia como esta: a taxa de natalidade a aumentar. Uma notícia publicada no Expresso diz que “este ano estão a nascer, em média, mais seis bebés por dia”.

Tendo em conta que nos últimos anos se tem verificado uma queda abrupta da taxa de natalidade em Portugal, pode entender-se que o aumento da taxa de natalidade, mesmo que reduzido, pode ser visto como uma boa notícia.

A questão fundamental que se coloca é: qual o fator que levou ao aumento da taxa de natalidade?

Penso que o fator que mais contribuiu para o aumento da taxa de natalidade passa principalmente pela melhoria das condições económicas, que se têm vindo a fazer sentir no país desde meados do ano passado. Parece-me que o facto de a taxa de desemprego ter diminuído também tenha contribuído para aumentar o nível de confiança das pessoas e que desse modo começam a pensar em constituir família.

Também é certo que um dos motivos que leva a mulher a adiar o facto de ter filhos é a sua valorização académica e profissional. Muitas vezes, a mulher enquanto não se sentir realizada profissionalmente e não tiver ainda obtido uma carreira consolidada adia a natalidade na sua vida. Este parece-me um dos motivos que leva as mulheres a serem mães cada vez mais tarde e a terem menos filhos.

No entanto, foram aprovadas, no Parlamento, algumas medidas de incentivo à natalidade, tais como a “flexibilidade de horários aos pais funcionários públicos, com possibilidade de trabalho a meia jornada e redução de 40% do vencimento”; “possibilidade de as licenças parentais por parto passarem a ser gozadas em simultâneo por pai e mãe” e “aumento do valor de subsídio parental inicial de 83% para 90%, se os 180 dias forem partilhados entre o pai e a mãe”.

É certo que estas medidas que foram aprovadas no Parlamento são importantes para o aumento da taxa de natalidade, mas acredito que a melhoria das condições económicas e o nível de confiança das pessoas pesam muito mais na hora de decisão de ter filhos.

Apesar de este ano a taxa de natalidade aumentar, mesmo que não se traduza num aumento significativo, já pode ser visto como um sinal de mudança e acima de tudo de esperança, para que nos próximos anos a tendência se mantenha e que o número de nascimentos aumente cada vez mais.

Ivone Pascoal

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *