JS – Juventude Sénior

[dropcap size=”500%”]S[/dropcap]

 abem que não tenho por hábito meter-me em seara alheia, nem procurar o confronto político e/ou institucional só por mera competitividade ou guerrilha. Pelo contrário, gosto de procurar caminhos que conduzam à comunhão de pontos de consenso e não de pontos de embate. Porém, não consigo ficar alheio ao que vi numa página de facebook da candidatura (penso que única) à Federação de Leiria da Juventude Socialista.

Não consigo deixar de pegar neste exemplo para rebater aquela ideia de que as “jotinhas” são todas iguais, só muda o cheiro. Não! Podemos ter qualidades e defeitos em comum, mas neste caso concreto, que aqui trago, a JSD é muito, mas muito, diferente da JS. Diferente na essência, diferente na forma de fazer e naturalmente diferente na legitimidade.

O que vi nessa página de uma candidatura à Federação da JS foi uma série de fotos de dirigentes do Partido Socialista a declararem o seu apoio a essa candidatura e a esse candidato. Apoios de militantes da JS nem vê-los, mas daqueles que há muito deixaram de ter idade para pertencer a uma juventude partidária, lá estavam as declarações de apoio.

Na JSD isto seria impensável! Pelo menos a esta escala e com tamanho número de apoios seniores. Mais do que apregoar, na JSD respeitamos muito a autonomia entre as estruturas, a juventude partidária e o partido, não admitimos que este se intrometa na vida daquela, muito menos nos seus processos eleitorais. Se deixássemos estaríamos a confundir tudo, a ultrapassar a saudável fronteira que existe entre as estruturas, a hipotecar a nossa voz dissonante e crítica dentro do partido. Quando for tudo a mesma coisa, deixa de fazer sentido a existência de estruturas autónomas.

Na JSD não abdicamos da nossa autonomia, da nossa legitimidade própria para pensar diferente do partido, para ser a consciência crítica do partido, para ser irreverentes e acima de tudo para ocuparmos o nosso espaço de intervenção. Quando prescindimos deste espaço de ação e destes valores estamos a dar razão aos que criticam as juventudes partidárias, dizendo que são meras estruturas de carreirismo dentro dos partidos e sem legitimidade própria e eleitoral.

A Juventude Socialista com estes comportamentos mais parece uma delegação do Partido Socialista que pretende aproximar este dos jovens (mas só pela idade dos seus dirigentes e pelo vocábulo “juventude” na denominação).

Na JSD não queremos ser uma estrutura de aproximação do PSD aos jovens, mas exatamente o contrário, um meio de aproximação dos jovens ao PSD, à política, à causa pública. Ainda há diferenças, não são todos iguais!

João Santos

Presidente da JSD Pombal

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *