Eu quero que Pombal seja a minha família

[dropcap size=”500%”]S[/dropcap]

ou apologista do valor familiar bem como da criação de condições para o desenvolvimento das famílias.

Pombal é um Município exemplar, sem dívidas e que oferece boa qualidade de vida mas a tender para o envelhecimento. É por isso de extrema relevância contrariar esta tendência e adoptar políticas económicas e sociais que apoiem e incentivem a fixação dos jovens no concelho e a constituição familiar.

O Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis (OAFR) é uma entidade que analisa, através das respostas a um inquérito, 10 áreas de actuação (apoio à maternidade e paternidade; apoio às famílias com necessidades especiais; serviços básicos; educação e formação; habitação e urbanismo; transportes; saúde; cultura, desporto, lazer e tempo livre; cooperação, relações institucionais e participação social e outras iniciativas e são também analisadas as boas práticas das autarquias para com os seus funcionários em matéria de conciliação entre trabalho e família) e galardoa anualmente as autarquias “amigas das famílias”. Este ano, na sexta edição, o OAFR distinguiu 39 municípios pelas boas medidas tomadas em prol das famílias mas Pombal não está entre os galardoados (mas atenção: Pombal não respondeu ao inquérito, não esteve na “corrida” para esta distinção). Pombal não respondeu mas, na minha opinião, poderia tê-lo feito sem qualquer descrédito porque Pombal tem desenvolvido boas medias nesta área e tem boas práticas de que se pode orgulhar. Todavia, incentivar e apoiar de forma sustentada a criação de famílias é muito importante para o concelho, até porque o desenvolvimento familiar traz consumo e desenvolvimento económico que pode ter consequências positivas no comércio e empresas locais, por exemplo.

Na minha perspectiva, a família constitui um papel preponderante na economia, no desenvolvimento e no crescimento a diversos níveis: social, cultural e educacional, por exemplo. Investir na Família é um investimento a curto e a médio-longo prazo mas que poderá resultar em bons frutos aquando da colheita.

E falando em colheita, ao escrever este artigo, não consigo deixar de me lembrar da mais recente publicidade de uma cadeia na área da restauração onde a família é exaltada. Algo está a mudar… está-se a tomar consciência do valor familiar. São acções como esta que me merecem ser destacadas e Pombal deve continuar a trabalhar neste sentido.

Susana Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *