CM de Pombal aposta no futuro: aposta no centro histórico

[dropcap size=”500%”]É[/dropcap]

com bastante agrado que vejo a Câmara Municipal de Pombal definir como prioridade deste mandato a reabilitação e, diria até, a ressurreição do centro histórico da cidade de Pombal. Já percebemos que o futuro das cidades passa novamente pelos seus centros históricos que durante muitos anos foram esquecidos e deixados ao abandono, sendo-lhes passada a respectiva certidão de óbito. Volvidos alguns anos, os centros históricos voltaram a ser atractivos para os cidadãos, em muito pela mística que transmitem, pela sua beleza e pela capacidade que têm de alimentar o imaginário dos que por lá passam. Quase como sempre acontece, este ressurgimento acabou por ser o culminar de um fenómeno cíclico. Durante muitos anos, por essa Europa, o expoente máximo do modernismo foram os grandes centros comerciais, que nos dias de hoje já começam a ser trocados pelo regresso às ruas. Nós por cá, como andamos sempre na cauda do comboio, lá havemos de chegar.

Mas voltemos à questão chave: Pombal. Com as obras de regeneração urbana que se iniciaram no mandato passado quase terminadas, é agora tempo de as aproveitar e de criar condições para que os cidadãos utilizem aqueles espaços. Em primeiro lugar incentivando a que os privados façam a sua parte e requalifiquem os seus edifícios, para que estes possam depois ser utilizados para o comércio e para a habitação, levando dessa forma para lá pessoas.

A Câmara Municipal tem tomado medidas muito positivas nesse sentido. Começou com a redução da taxa de IMI para os imóveis alvo de reabilitação, para os imóveis em que somente a fachada seja requalificada e para os imóveis que sejam colocados no mercado de arrendamento. Depois lançou o programa Porta Aberta que pretende incentivar ao arrendamento de espaços comerciais por jovens nesta zona da cidade, com um apoio claro e efectivo por parte do município. E, agora, está a proceder à vistoria dos imóveis degradados desta zona, contactando os respectivos proprietários para procederem à realização de obras.

Já podemos considerar que estamos perante um programa de incentivo ao ressurgimento do centro histórico da cidade de Pombal, que contempla estas medidas a somar a outras que já vêm de trás, como o arrendamento jovem, que está prestes a ser uma realidade – medida defendida há vários anos pela JSD.

Merecem o nosso reconhecimento os que souberam definir em tempo oportuno a necessidade de intervir urbanisticamente nesta zona, entenda-se o anterior executivo, e aqueles que agora souberam definir um conjunto de medidas que a pouco e pouco terão uma repercussão muito positiva no renascer do Pombal antigo, o Presidente Diogo Mateus e a Vereadora Ana Gonçalves, que tem os pelouros da reabilitação e comércio.

João Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *