Bombeiros: valorizar sim, substituir não.

Os bombeiros nasceram há mais de 600 anos a partir de estruturas associativas que proporcionavam um grande número de resposta perante aqueles que se encontravam em dificuldade. Devido à quantidade de pedidos de ajuda houve a necessidade de profissionalizar este tipo de associações, de Homens que largavam a sua família para socorrer o próximo.

É na altura do ano em que nos encontramos que é dada maior relevância ao papel dos bombeiros na comunidade, no entanto, estes Homens não trabalham apenas de Verão. Todo o ano socorrem quem mais necessita, desde o gatinho que esta preso na árvore, ao senhor que está com falta de ar! São personagens de um papel notável na nossa comunidade! Hoje em dia, são o principal agente da Autoridade Nacional de Proteção Civil e, sendo voluntários na maioria das vezes, não recebem remuneração, mas não fazem caso disso, pois o que fazem, fazem por gosto. É por todos estes serviços que nos prestam que não devemos banalizar o trabalho dos bombeiros durante o ano! Pois eles ainda começam a escassear, e por isso e porque precisamos de garantir a nossa segurança e dos demais que se deve investir na profissionalização, e no equipamento de todas as corporações de bombeiros, ao invés do que acontece atualmente no nosso país, em que foi feito um investimento em equipamento para apagar incêndios em nome da Guarda Nacional Republicana pondo em causa, de certa forma, o trabalho de instituições centenárias que sempre foram formados para socorrer pessoas e bens!

Assim, tendo em conta os investimentos existentes no equipamento de GNR para o combate aos incêndios, entendo que podemos verificar uma certa desvalorização dos investimentos em pessoal depositado por parte dos bombeiros, voluntários e não voluntários em prol da nossa sociedade! Ressalvo assim a atitude de desrespeito pelas corporações que nada pedem em troca além de respeito pelo seu trabalho, quando trocam o conforto da sua casa e das suas famílias para ajudar os que precisam.