Apoios à Natalidade

[dropcap size=”500%”]M[/dropcap]

ais que apoios fiscais a quem tem filhos o apoio à natalidade deve começar antes, na decisão de ser pai e essa decisão passa pela capacidade de fazer face as despesas inerentes da mesma, não são 30€ ou 40€ mês que fazem um jovem casal decidir ser pai, a não ser que na sua actual situação financeira fiquem sempre a faltar esses 30€ ou 40€ para fazer face as despesas correntes e neste caso não é a natalidade que se esta a apoiar.

Vamos fazer uma analise à problemática.

Resumo de um orçamento para o 1º filho:

Cama de bebe: 150€

Carrinho de bébe com “ovo”: 350€

Banheira para bebe: 20€

Produtos de higiene durante o primeiro ano: aproximadamente 1040€

Total: 1560€ (No dia do nascimento do bebé já temos de ter 520€ investidos)

No segundo ano temos:

Cadeira auto: 75€

Produtos de higiene durante o segundo ano: aproximadamente 500€.

Total 575€

Com isto quero demonstrar que para fazer face ás despesas do primeiro ano os pais teriam de poupar o equivalente ao beneficio fiscal de 40€ mês durante mais de trés anos.

E o pior de tudo é que o carrinho de bebe(350€) por exemplo será apenas utilizado no primeiro ano, ano e meio, e a cama chega aos ⅘ anos.

A minha visão para um apoio a natalidade eficaz passa por retirar as contas das cabeças dos pais, principalmente o valor necessário até ao dia do nascimento do bebé, como? simples

Apoio a natalidade ( a minha versão)

A cada família de futuros pais no 6º(*) mês de gestação é entregue uma cama e um carrinho de bebe com “Ovo”, banheira, e produtos de higiene do bebé para o primeiro mês

Regras:

Ao fim de 18/24 meses da criança o carrinho que deixou de ser útil é devolvido para lavagem especializada.

Ao fim do 3 – 4 ano é devolvida a banheira para lavagem especializada.

Ao fim dos 4 -5 ano é devolvida a Cama para limpeza especializada.

Todos estes produtos apos devidamente recuperados entrarão de novo no circuito distribuição a futuros pais.

Outro grande apoio seria na primeira ou nas duas primeiras semanas ser dado apoio aos recém pais por equipas da santa casa da mesericórdia nas lides de casa, nomeadamente refeições. A chegada do bebe a casa trás sempre muitas tarefas e nos dias de hoje as avós dos rebentos têm de trabalhar e não conseguem ajudar os jovens pais durante o dia.

Tendo este tipo de apoio um custo inicial elevado e não havendo condições financeiras para levar o apoio a todos, poderá ser ponderar uma taxa de aluguer mediante a avaliação das condições financeiras dos candidatos a pais, durante a vigência do apoio estes valores apenas podem baixar, caso os rendimentos do casal sejam reduzidos.

Agora uma segunda parte que na verdade é a primeira. A predisposição para ser pais.

Por mais que se pense, investigue e pergunte nunca se estará pronto para se ser pais, afinal não dá para desligar, um pai não pode tirar um dia de folga.

Quando se pondera ser pai, todas as duvidas que surjam são um não, e cada duvida esclarecida é um sim, a promoção de cursos para pre-pais, destinados não só a quem já decidiu ser pai mas todos o jovens casais que pensem um dia vir a ser pais, pode revelar-se útil na medida em que esclarece todas as duvidas e divulga todos os apoios a que podem recorrer para que possam tomar uma decisão esclarecida.

(*) No 6º mês porque? O equipamento deve ser entregue antecipadamente porque pior que não ter meios financeiros para comprar os equipamentos é estar sem certezas que o apoio chega a tempo, retiremos um ponto de stress de cima das mães.

Nota: Os valores apresentados são ponderados por um pai que nunca quis fazer as contas para não se assustar.

Ricardo Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *