Afinal não há cautela…

[dropcap size=”500%”]É[/dropcap]

É mau escrever no dia 25 de Abril, e não falar dele, e dos seus 40 anos. Não é que o descredibilize, muito pelo contrário, mas acho que já estão fartos de ouvir falar sobre ele durante o dia de hoje. Como colegas escreveram neste blog sobre a revolução, e o que eu escrevesse poderia ser mal interpretado , decidi fazer uma procura exaustiva de alguma noticia da atualidade portuguesa, mas nada….Apenas comemorações do 25 de Abril. Continuei a minha pesquisa, e lá encontrei qualquer coisa que me provocou algum espanto. Então não é que afinal não vai haver programar cautelar?

Pois, quem diz é o Eurogrupo, mais concretamente o “alto quadro da estrutura que coordena as políticas dos 18 membros da moeda única” mas pelos vistos é só um conselho, ou seja, não é vinculativo.

Mas quem sou eu para questionar os “conselhos” do “alto quadro da estrutura que coordena as políticas dos 18 membros da moeda única” como refere o PÚBLICO.

Bom, sou alguém que assistiu à última governação PS, que viu a “Desgraça Nacional” que esse partido causou, e que prevê uma segunda saga dessa série sangrenta e austera se esse partido sobe de novo ao poder.

Enquanto este mandato do governo PSD se resume à politica dos 3R’s: Reutilizar, Reduzir, Reciclar, podemos comparar os modelos de governação do PS com a política dos 3G’s: Gastar, Gastar, Gastar.

Citando a nossa Ministra das Finanças: “Eu não sei se os eleitores prefeririam que fossemos prudentes ou ousados”, e é mesmo isto que está a acontecer …

Uma saída limpa, leva à elevação do governo (até agora tão criticado) a “salvadores Nacionais” e com jeitinho ainda são condecorados com uma medalha de uma ordem qualquer (se até o Soares tem uma coleção delas, qualquer um consegue), do outro lado, está a saída com programa cautelar que duraria tempo suficiente para que o PS não estragasse tudo, outra vez.

E afinal, o que querem os eleitores? Para eles, tanto faz, desde que não tenham de pagar mais do que o que andam a pagar, e todas as lamentações, que todos nós, todos os dias ouvimos nos noticiários, que agora só me fazem lembrar um daqueles programas da tarde, que têm senhoras todas sorridentes e a aplaudir na plateia.

Mas em quem será que vão votar em caso de saída limpa? E em caso de programa cautelar? A resposta não me parece difícil, porém se:

1+1=2;

País em boas condições+ PS a governar = banca rota. Afinal, não devo seguir os conselhos dos meus avós quando dizem para ter “Cautela” a gastar dinheiro.

Texto escrito ontem, dia 25 de Abril

Beatriz Branco

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *