A mentira só dura enquanto a verdade não chega

[dropcap size=”500%”]D[/dropcap]

esde o início desta semana, e durante todo o mês, a Biblioteca Municipal de Pombal estará aberta até à meia-noite. O objectivo da medida é disponibilizar um espaço adequado ao estudo em altura de exames.

Após a aprovação da medida, a primeira do vereador Renato Guardado, a JSD Pombal partilhou esta imagem e comunicado na sua página de facebook, tendo o mesmo sido também enviado à imprensa.

A primeira reacção chegou-nos de uma vereadora da oposição, que não tem idade para fazer parte da Juventude Socialista, mas que ainda assim sente que a pode representar (aliás, em mais uma prova da enorme autonomia da JS em relação ao PS). Louvo-lhe o espírito de jovem, mas não lhe posso louvar a falta de seriedade. Insinua a Sra. Vereadora que a JSD se “apropriou” indevidamente de uma proposta da JS.

Mesmo que possamos admitir que um membro da nossa Câmara se expresse publicamente antes de se informar, mais difícil será admitir o comentário do vereador Adelino Mendes, que reforça a ideia. É que o Sr. Vereador estava presente na Assembleia Municipal de 29 de Junho de 2012, quando a deputada municipal, da JSD, Andreia Marques, apresentou essa mesma proposta (ver acta, página 8). E quase um ano depois, estava também presente na AM de 30 de Abril de 2013, quando eu próprio o voltei a propor (ver acta, página 13). Talvez devesse começar a estar mais atento nas Assembleias Municipais…

Ainda na mesma publicação, a jornalista/membro da Assembleia de Freguesia de Pombal Paula Sofia Luz, diz que o Pombal Jornal devia ter feito trabalho jornalístico, em vez de apenas publicar o comunicado da JSD. Concordo que o trabalho jornalístico tem uma importante vertente de investigação. Investigação que facilmente levaria às actas atrás publicadas. E às actas do Conselho Municipal de Juventude, em que a JSD defendeu o mesmo. E se confrontasse os intervenientes, concluiria ainda que em 2010 já tinha existido uma reunião da ADEPES e da JSD com o então vereador da Educação, Fernando Parreira, com esta mesma proposta. A sua incursão pela política tirou-lhe certamente o jeito para o jornalismo…

Mas até aqui, nada de grave. A Juventude Socialista parecia ter adoptado uma postura responsável. Não podíamos estar mais enganados. Já no dia 5 de Julho, a JS Pombal partilha na sua página de facebook um comunicado datado de dia 2. Começa o comunicado por salientar que a JS promoveu uma petição para conseguir o alargamento do horário da biblioteca. Parece-me bem, começar por admitir a sua completa falta de tacto político. Uma petição é um instrumento dos cidadãos, as estruturas partidárias têm outros locais para apresentar propostas, como a Assembleia Municipal e o Conselho Municipal de Juventude.

Admitido o erro, claramente fruto da inexperiência, passamos então às contradições. Estas que me parecem mais sintomáticas de falta de seriedade do que de falta de experiência. Diz a JS no seu comunicado que a resposta positiva em relação à proposta lhe foi feita chegar, pelo Presidente de Câmara, em Abril (estava em funções na pasta da Juventude o ex-vereador António Pires). Acontece que nem todos temos memória de Adelino Mendes. E então todos nos lembramos que em Junho a JS “lamenta que após sete meses a Câmara Municipal não tenha respondido ao solicitado”. Eu sei que para os socialistas esta coisa da memória é uma chatice, mas continua a existir…

Nuno Carrasqueira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *