A JSD como casa de saberes

[dropcap size=”500%”]O[/dropcap]

 meu nome é Rita Mendes, sou estudante de Educação Básica e sou vogal da Juventude Social Democrata (JSD) de Pombal. Não podia ter tomado melhores decisões.

Supostamente viria a este blog escrever sobre uma notícia da atualidade, mas, ao invés disso, arrisco em fazer uma retrospetiva sobre a importância da JSD na vida dos adolescentes.

Defende a Sociologia da Infância que a criança é um ser ativo desde que nasce e que a infância não se trata de uma “programação cultural”. Cada criança é produtora de culturas.

Esta área questiona a visão tradicional sobre a infância, passa a entendê-la como uma construção social. A tomada de decisões constrói a nossa identidade, a nossa habilidade de adaptação ao contexto em que vivemos, de agir sobre e por ele e de transformá-lo.

Ao contrário do que se pensa, nós somos cidadãos de direitos desde o nosso nascimento e não apenas quando atingimos a maioridade. Como tal, as crianças e jovens têm direito à PARTICIPAÇÃO! Tem de se dar “voz e vez” às crianças e jovens! Estes devem expressar as suas opiniões e ter o poder de tomar decisões.

Pois eu concordo inteiramente com esta área do conhecimento, bem como com um dos seus mestres, professor Sarmento.

Ao ouvir tais ideologias, fiz uma reflexão sobre os adolescentes da atualidade. É muitíssimo comum ouvir-se jovens a reclamar por falta ou má qualidade de estradas, falta de transportes, estabelecimentos de ensino formal, não formal ou informal com más condições ou horários desadequados às suas necessidades… mas o que fazem eles para mudar ou melhorar falhas? O que lutam eles para mudar seja o que for no seu concelho ou freguesia? Muitos, nada. Protestam apenas. Eles e a sua “invisibilidade”… É aqui que a JSD, como juventude partidária de qualidade que é, entra.

Focando-me em Pombal, a JSD é um grande “centro de formação” em que todos são docentes e discentes, isto é, através da partilha, da discussão e da palavra de cada um (“voz e vez”), todos aprendem e todos dão algo a aprender. Cada um tem um papel mas todos lutamos por um objetivo comum, por aquilo que queremos mudar e melhorar na nossa localidade. Somos jovens ativos e participativos na nossa sociedade, somos criadores de cultura!

As nossas conquistas, as nossas vitórias são a concretização das nossas ambições. As nossas derrotas, por outro lado, formam as nossas novas ambições.

Entendo a JSD de Pombal como uma casa de saberes constantemente em construção. Se há lugar para jovens aprenderem a ter o poder da palavra, a participar na atividade política em diversas áreas, a tomar decisões e a explorar e realizar as suas ideias, é, sem dúvida na JSD.

Assim, constatei que a JSD vai totalmente de encontro à mais recente visão sobre a criança e a infância no âmbito da Sociologia da Infância.

Rita Mendes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *